A Folha de São Paulo destaca que com o agravamento das acusações contra ele, o presidente Michel Temer passou a evitar a imprensa brasileira na China e até mesmo uma cortina foi aberta para evitar registros de imagem do peemedebista.

O aparato, presente na entrada do hotel onde o presidente se hospeda, foi estendido neste domingo (3) durante saída do peemedebista, escondendo-o das lentes das câmeras e dos fotógrafos que o esperavam na frente do local. O comportamento do peemedebista mudou desde que o empresário Joesley Batista aumentou as críticas a ele, chamando-o inclusive de "ladrão-geral da República".